Allstars on Facebook

Jogo

Liga C1, 2020-01-12 às 21:00 @ São Miguel

Nota do árbitro: 4

1 - 1

000000

MVP: Nélson Nunes

Capões do Sul vs Famaligato

Famaligato e Capões apresentam-se com bom nível e dividem pontos à 2ª Jornada.

Foi um jogo muito bem disputado que revelou a enorme qualidade de duas equipas que prometem lutar até ao fim pelo título da Liga C.

O início da partida ficou marcado pela maior intensidade dos Flamigato, a procurarem assumir as despesas do jogo. Contudo, o primeiro lance é um livre sobre a meia direita, muito bem batido por Jota que obrigou a um voo atento de Castro.
Com o passar do tempo, o 2x4x1 rigoroso dos Capões permitiu controlar o jogo ocupando bem  o terreno. Numa combinação de Assis com Manas os brancos penetraram no último terço, mas a defesa adversária tratou do assunto. Ouviram-se protestos a pedir penalty sobre Manas, mas o árbitro não duvidou da legalidade do corte.
De bola parada, num canto sobre a direita batido, os Flamingato criam um primeiro lance de golo com Pereira – o maestro do jogo dos felinos – a subir à 3º andar e a desferir um cabeceamento que só parou na trave.
Pouco depois, numa transição rápida pela direita, foi Demony quem disparou um míssil que falhou o alvo por pouco.
Os Capões queriam responder e foi Assis quem se desmarcou pela esquerda, mas Leite fez um corte fenomenal que valeu por golo.
Numa primeira parte muito equilibrada e de muito pendor ofensivo das duas equipas, os Famaligato voltaram a ameaçar com um contra-ataque pela direita com Pereira a servir Magalhães que, em frente à baliza, não consegui dar a direcção certa à redondinha.
A fechar o primeiro tempo, os Capões constroem bem com Manas a aparecer à direita mas não havia ninguém  para o último desvio.

No segundo tempo, um arranque perigosíssimo dos Famaligato obrigou Benji a uma enorme estirada para parar o remate muito colocado de Serpa.
Depois de um livre batido rápido na meia direita, foi por pouco que os Famaligato não chegaram ao golo. Batidos nas costas, é Garcia quem surge ao segundo poste mas falha e perdoa o grande erro de marcação dos Capões.
Pouco depois, a superioridade dos Famaligato traduziu-se no marcador. Num lance à direita foi Serpa a atirar para as redes e fez golo que dava justiça ao resultado.
Contudo, a vantagem foi sol de pouca dura. Através de uma interceção a meio campo dos Capões – e de primeira – a bola foi parar aos pés de Ávila, que só teve de rodar e, sem pressão adversária (a defesa estava desposicionada porque estava no início de organização ofensiva) chuta para golo.
Animados pelo golo, foram os Capões quem assustou o adversário com Botelho a ter um remate forte à trave.
Regressado a campo, Manas voltou para agitar o jogo para os Capões e dar dinamismo ao ataque e criar dificuldades à primeira fase de construção dos Famaligato.
No fim, o jogo ficou mais “rasgado” e com o contrataque bem desenhado dos Capões envolvendo Manas e Assis, a conclusão de Martim não foi a desejada. Depois, Demony foi um autêntico demónio para a defesa adversária, mas viu um gigante Benji fazer a mancha e a negar a vitória aos Famaligato.

Foi um jogo muito bem disputado que revelou a enorme qualidade de duas equipas que prometem lutar até ao fim pelo título da Liga C.

por José Miranda